arcos olímpicos

Sementes plantadas na abertura dos jogos não receberam verba prometida

Reprodução na íntegra de matéria publicada pelo jornal O Globo em 04 de agosto de 2017 no link: https://oglobo.globo.com/rio/sementes-plantadas-na-abertura-dos-jogos-nao-receberam-verba-prometida-21670414

A promessa, divulgada para o mundo todo, era de que as 13.725 sementes de 207 espécies de Mata Atlântica formariam a Floresta dos Atletas e o Bosque dos Medalhistas no Parque Radical de Deodoro, na Zona Oeste do Rio, até a próxima Olimpíada, em Tóquio, no Japão, em 2020. Passado um ano da festa, nem o Comitê Organizador Rio 2016 nem a prefeitura do Rio deram um centavo para as mudas olímpicas, que estão sendo mantidas pela Biovert, empresa de engenharia florestal.

— Em último caso, se ninguém se manifestar, vou plantar isso lá na fazenda. O risco que estamos correndo hoje é um risco de imagem para o país e financeiro para nós — afirma Marcelo Carvalho, dono da Biovert.

Segundo ele, já foram gastos cerca de R$ 600 mil no projeto, cujo orçamento total é de R$ 3,1 milhões. A ideia era que a prefeitura bancasse as despesas, já que as mudas seriam levadas para um parque municipal. Mas o ex-prefeito Eduardo Paes, que, na época do projeto, se mostrou interessado em levar a plantação adiante, não formalizou nem deixou encaminhado o processo na prefeitura antes de deixar o governo.

Carvalho disse que, há cerca de dois meses, conseguiu contato com a atual gestão por meio da subsecretaria de Esporte e Lazer, que pediu alguns documentos para dar seguimento ao projeto. O cronograma inicial previa que em abril deste ano o terreno em Deodoro já fosse preparado para receber as mudas até o final do ano.

Na última quarta-feira, o Tribunal de Contas da União determinou, em plenário, que o Comitê Organizador apresente um plano de ação para a execução do plantio. Diretor de comunicação da Rio 2016, Mario Andrada disse que a organização vai liderar o processo, mas ainda não sabe de onde virão os recursos.

— O compromisso moral é da Rio 2016, porque foi assumido na cerimônia de abertura. Vamos honrá-lo e liderar o processo. Se não tivermos condições financeiras, podemos voltar à prefeitura. Também temos que pagar outros fornecedores — disse Andrada.

A subsecretaria de Esporte e Lazer disse, em nota, que reconhece a importância de cumprir esse legado e que está “em processo de entendimentos com a empresa”. O ex-prefeito Eduardo Paes não se manifestou.

Leia mais: https://oglobo.globo.com/rio/sementes-plantadas-na-abertura-dos-jogos-nao-receberam-verba-prometida-21670414

Related Post