Conservar a Mata Atlântica: ainda dá tempo

manejoA Mata Atlântica é considerada um hotspot mundial, devido as altas taxas de diversidade e endemismo. Além de ser uma das maiores florestas tropicais do mundo, apresenta abundância de biodiversidade. Hoje, ela enfrenta uma crise e é o bioma brasileiro mais ameaçado da atualidade, sofrendo grande processo de degradação ambiental. De acordo com a SOS Mata Atlântica/INPE, somente 8,5% de toda a vegetação nativa ainda permanece preservada. Por isso, separamos alguns motivos pelo qual devemos conservar a mata atlântica:

  • Diversidade ecossistêmica: a Mata Atlântica é composta por um conjunto de ecossistemas e está presente em grande parte da região litorânea brasileira, beirando o oceano Atlântico. Ela é a floresta mais rica do mundo em diversidade, capaz de abrigar mais de 20 mil espécies vegetais e 1,6 milhões de espécies de animais, incluindo insetos;
  • Detém espécies endêmicas de fauna e flora: estas espécies estão mais sujeitas de extinção caso seu ambiente seja alterado. De todas as espécies de plantas, 8 mil são endêmicas – ou seja, que não existem em nenhum outro lugar do planeta e só são ocorrentes em um determinado local. Só de aves, existem cerca de 700 espécies, das quais 181 são endêmicas da Mata Atlântica;
  • Está ameaçada de extinção: quando os primeiros homens brancos chegaram ao Brasil, a Mata Atlântica cobria mais de 15% do território nacional. Hoje, ela está reduzida a cerca de 8,5%. Ela é o segundo Bioma mais ameaçado de extinção do mundo, perdendo apenas para as quase extintas florestas da ilha de Madagascar, na costa da África;
  • Abriga mais da metade da população brasileira: toda região da Mata Atlântica contém em torno de 70% dos habitantes do país;
  • Regula o fluxo dos mananciais hídricos e assegura a fertilidade do solo: a preservação da vegetação nativa, principalmente das Áreas de Proteção Permanente – APP, é importante para a preservação das nascentes e contenção das encostas (quando essa vegetação se encontra em topo do morro). As faixas marginais de proteção (matas ciliares) também são APPs que são importantes como protetoras das águas, uma vez que atua como um filtro natural, além de não permitir o assoreamento das margens. Já a fertilidade do solo está relacionada ao fluxo de matéria orgânica que gira em torno do ciclo de equilíbrio do sistema, ou seja, as folhas e as árvores que caem se decompõem e fornecem nutrientes para o solo, contribuindo assim com sua fertilidade
  • Sua estética oferece uma sensação de bem-estar à sociedade: proporcionando lazer, ecoturismo, qualidade de vida, geração de renda para a população e é fonte de alimentos
  • Controla o equilíbrio climático: as árvores fornecem um microclima, resfriando a temperatura e fornecendo sombreamento.

A conservação desse bioma pode estar mais ligada a você do que imagina. Existem meios de preservação da Mata Atlântica que estão diretamente ligados aos indivíduos da sociedade. Veja algumas formas de valorizar e conservar o bioma:

  • Não jogue lixo na natureza;
  • Não compre plantas nativas da Mata Atlântica vendidas ilegalmente. Denuncie todo comércio ilegal de plantas nativas;
  • Não compre animais silvestres. Denuncie o comércio ilegal de animais e seu aprisionamento;
  • Compre apenas produtos feitos de madeira certificada;
  • Compre apenas palmito cultivado e registrado pelo Ibama ou órgãos devidamente responsáveis;
  • Valorize empresas que respeitam o meio ambiente;
  • Evite o consumismo excessivo e desnecessário;
  • Apoie medidas de recuperação ambiental e plantio de árvores.

A Mata Atlântica é, sem dúvidas, uma das regiões mais ricas do mundo em biodiversidade e, falando especificamente de aves, tem a maior concentração de espécies endêmicas no mundo. 70% de todas as suas espécies são consideradas raras. Por isso, é importante alertar a sociedade sobre a importância da Mata Atlântica como grande abrigo de espécies endêmicas e evitar que as espécies de fauna e flora hoje, sejam as espécies ameaçadas de amanhã.

Related Post