Handroanthus_serratifolius

Abrem-se as portas para a estação das flores

Floração de Pau-brasil. (Foto: Mauro Guanandi / Flickr)
Floração de Pau-brasil. (Foto: Mauro Guanandi / Flickr)

O dia amanhece, o atípico inverno vai embora e a primavera chega. Apesar de, há algumas semanas, o clima vir seguindo os padrões de sua temperatura, oficialmente, hoje é declarado o início da estação mais bonita do ano. O período, que vai até o dia 22 de dezembro, é marcado por belas paisagens formadas pela natureza.

É durante a primavera que ocorre o florescimento, ou seja, o início da reprodução de muitas espécies de árvores e plantas. Nesse processo, muitos animais se beneficiam da floração para se alimentarem com o néctar das flores. “Esses animais são muito importantes ecologicamente pois atuam como polinizadores e, com isso, influenciam na reprodução da flora e, consequentemente, na produção de frutos”, afirma Ursula Taveira, bióloga da Biovert.

Sementes de Olho de Cabra

Outro benefício da primavera é que, durante a estação, há um aumento significativo na produção e coleta de sementes. De acordo com os profissionais da equipe Biovert, a primavera é a estação mais recomendada para iniciar qualquer plantio. As melhorias climáticas fazem com que as mudas apresentem melhores índices de sobrevivência. “Essa estação também favorece o desenvolvimento de novas folhas, flores e do crescimento da planta”, diz Ursula.

Quem também pensa assim é o engenheiro florestal Pedro Rajão. Ele acredita que este é um período propício para implantação de projetos de reflorestamento e revegetação. “O clima é bem interessante. Nem tão quente quanto o verão, nem tão seco quanto o inverno. É ideal para o plantio e crescimento das mudas“, observa.

A Biovert é responsável por produzir 3 milhões de mudas por ano, com cerca de 360 espécies em seu viveiro, localizado no município de Silva Jardim. Durante a primavera, as árvores que se encontram mais floridas são ipês-amarelo (Handroanthus sp.), pau-brasil (Caesalpinia echinata), sibipiruna (Poincianella pluviosa) e guapuruvú (Schizolobium parahyba). Você pode conferir essas espécies em projetos como na Reserva Florestal do Grajaú,  Serra de Madureira e no Morro do Alemão.

Related Post